Fundo Jovem

Depoimento Priscila Cukierman

Category:

Fundo Jovem

pri“Pode parecer um paradoxo, mas escrevo para contar um segredo. Um segredo da alma, que é difícil colocar em palavras. Um daqueles momentos que você quer guardar para sempre com você.

Somos o povo escolhido, e isso não é nenhuma novidade, muito menos um segredo. Mas, além de termos sido escolhido, escolhemos. Escolhemos ser o lar do povo judeu, escolhemos acolher aqui todos aqueles que se sentem parte de uma historia de gloria, de realizações e de transformações. Escolhemos, nesse lugar, fazer tudo o que podemos de melhor. Escolhemos e acreditamos que aqui é a nossa casa, um lugar magico, que assim como todos os outros, tem problemas. A diferença é que escolhemos resolver esses problemas, abraçar cada quarteirão, cuidar de cada criança, abençoar cada porta, desenvolver cada km, nos apegar a cada lugar sagrado ou histórico e nos envolver com toda essa magia.

O mais curioso, é saber que fazemos isso de onde estamos, e o mais delicioso é saber que encontramos pessoas e comunidades que pensam o mesmo. Judeus de todo o mundo, Holanda, França, África do Sul, Austrália, Guatemala, México, Canada e muitos outros que não conheci. Jovens judeus que também acreditam e depositam não só fé, como esperança e tempo para concretizar e transformar nossa casa em um Estado melhor.

Fé, esperança e tempo, coisas que não só são imensuráveis, mas também impossíveis de encontrar uma unidade de valor.
Fé que temos um Estado Judeu, esperança que esse lugar seja cada vez melhor, e tempo que dedicamos e sentimos que podemos doar em troca do conforto que temos ao saber que existe um Estado Judeu.

Um Estado que recebeu de portas abertas todos os judeus do mundo. Um Estado que mesmo com um exercito em formação, escolheu sacrificar um carregamento em troca de uma unidade, o episódio do navio Altalena, apesar de ter seus contras, retificou a unidade de um só exército. Um Estado que abraça os novos imigrantes, incentiva a vinda e ajuda no estabelecimento de uma nova vida. Um Estado que por menor que seja, quer desenvolver cada área dentro dele, seja mais ou menos favorecida, na praia ou no deserto. Um Estado onde no meio da feira, quando um feirante ouve um soldado tossir, entrega algumas laranjas, pois quem esta nos defendendo, não pode adoecer.
Principalmente, um Estado Judeu, que segue a rixa uma das máximas judaicas; cuide do próximo, como você cuidaria de você mesmo, todos somos irmãos.

Irmãos de fé, irmãos que acreditam no complemento da sociedade e da necessidade de ajuda mutua. Encontrei companheiros, agora amigos que também estão nessa empreitada.

Vimos um pouco de tudo, da vida de quem chega de um outro país, as crianças que são nosso futuro, dos jovens soldados que nos defendem, dentro e fora das fronteiras, jovens que acreditam no país e em seu poder de realizar, que com suas mãos, decidem construir e desenvolver o deserto.

Tudo isso, foi não só gratificante, mas em, além disso, deu força para continuar, ver para crer que o Estado existe e esta em constante melhoria.

Mas, nada disso pode ter sido tão especial quanto estar em um auditório com os principais realizadores e sonhadores desses projetos, com os soldados que nos defendem e do novo grupo jovem; a próxima liderança.

O momento de força e união quando rezamos juntos em uma só voz, e cantamos o Hatikvá, em um único som fez entender de onde vem essa magia; simples assim, o poder sonhar e transformar esse sonho em realidade com base no amor, fé e esperança é a maior riqueza e o maior motivo pelo qual fomos escolhidos. Escolhidos para transformar, para construir, para mudar, para concretizar, e eu quero construir isso também, a gente pertence a esse lugar.” עם ישראל חי