Eventos

O RIO ABRAÇOU GILAT SHALIT

Category:

Eventos

A noite de 23 de maio de 2013 será lembrada para sempre como um divisor de águas para a Comunidade Judaica do Rio de Janeiro. A convite do Fundo Comunitário RJ, cerca de 1.200 pessoas, das mais variadas faixas etárias, lotaram o salão nobre da Hebraica Rio para abraçar Gilad Shalit, soldado israelense mantido prisioneiro durante cinco anos e meio pelo grupo terrorista Hamas.

E não foi um abraço qualquer. Como disse o presidente do Fundo Comunitário RJ, Alberto Moszkowicz, foi um abraço de quem esperou por longos cinco anos e meio. Desde a captura de Gilad (25 de junho de 2006) a sua libertação (18 de outubro de 2011), que acabou resultando na negociação histórica da troca de sua liberdade pela de 1.027 terroristas palestinos, presos em Israel.
Em seu discurso de abertura, Alberto evocou um trecho da Torá para fazer uma analogia entre os escritos e o sentimento dos judeus durante o cativeiro do soldado israelense.

– Existem na Torá 600 mil letras e símbolos e basta apenas uma única letra ou símbolo estar imperfeito, para que todo o rolo da Torá seja considerado Pasul, ou impróprio para leitura. O povo judeu em Israel e na diáspora, até bem pouco tempo atrás também se sentiu Pasul, imperfeito, ou incompleto, pois um filho e soldado encontrava-se cativo nas mãos do inimigo – comparou Alberto.

Além de apresentar os projetos realizados pelo Fundo, Alberto falou sobre a importância do envolvimento da comunidade nesse trabalho.
– Participar do Fundo Comunitário como contribuinte e /ou como ativista, é participar de uma corrente do bem e de solidariedade, que nos fortalece como povo e mantém nosso maior patrimônio, que há 65 anos temos o privilégio de celebrar e a co- responsabilidade de preservar – concluiu Alberto.
A visita de Gilad Shalit ao Rio foi proporcionada pelo Fundo Comunitário / Keren Hayesod, em parceria com o Consulado de Israel e a Hebraica, como parte das comemorações de Yom Haatzmaut e Semana de Israel. O sucesso da noite foi o resultado de um esforço coletivo e inédito de várias instituições judaicas do Rio de Janeiro, que abraçaram a causa e se engajaram no caloroso abraço a Gilad Shalit.

Mas como divulgar um evento que, por motivos de segurança, não podia ter o nome do convidado de honra revelado? Como levar as pessoas a Hebraica sem revelar o nome de Gilad? Em um engajamento inédito, toda a mídia judaica concordou em fazer edições extras, todas com a mesma campanha: Quanto vale uma vida judaica? E o resultado foi uma Hebraica lotada, com um público emocionado e vibrante.

A mesma pergunta usada na divulgação foi o fio condutor do evento, que contou com a participação do Embaixador de Israel, Rafael Eldad, e do jornalista Yoav Limor, um dos mais destacados profissionais da Imprensa de Israel e que acompanhou passo a passo a negociação do governo israelense com o Hamas.
A palestra de Yoav, que durou cerca de 20min, foi precedida pela exibição de um vídeo que levou o público às lágrimas. As imagens, enviadas pelos terroristas ao governo de Israel em 2009, mostravam Gilad vestido com o uniforme de soldado, lendo um jornal árabe, como confirmação de que ele ainda estava vivo. Segundo Yoav, as palavras ditas por Gilad nesse vídeo tinham o claro propósito de confirmar a sanidade emocional do jovem soldado.

Yoav encerrou sua fala exibindo um vídeo que mostrava o desfecho que todos queriam ver: os primeiros momentos da libertação de Gilad, em 2011, quando ele foi finalmente libertado e pisou em solo israelense, sendo recebido pelo primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu e abraçado pelo pai Noam Shalit.
Enquanto essas imagens eram exibidas, os músicos George e Leo Israel, acompanhavam a cantora Nicole Sender no palco. Mas a maior das emoções ainda estava por vir. Logo após a exibição desse vídeo o próprio Gilad entrou pelo meio do público no salão nobre da Hebraica, sendo ovacionado de pé, efusivamente, por todos.

Visivelmente emocionado, Gilad fez seu discurso de agradecimento aos judeus de todas as partes do mundo e homenageou a memória de dois soldados mortos no ataque ao tanque em que eles estavam. O jovem falou também da importância do trabalho realizado pelo Fundo Comunitário / Keren Hayessod.
– A minha história pessoal, assim como o trabalho do Keren Hayesod / Fundo Comunitário, é uma prova viva do princípio que orienta todos nós como povo: “Col Israel Arevim Ze la Ze” – “Todos os judeus são responsáveis uns pelos outros”.

Representantes das Escolas Judaicas, dos Movimentos Juvenis e do Grupo Jovem do Fundo Comunitário, subiram ao palco para presentear o homenageado com camisetas de diversos times de futebol e uma do “profeta Gentileza”.

A Presidente da Divisão Feminina do Fundo Comunitário – Evelyn Plachta – leu o agradecimento de Gilat Shalit em português, e ao final, dedicou-lhe carinhosas palavras em nome de todas as mães judias de nossa comunidade.

A cantora Nicole Sender e os músicos Leo e George Israel encerraram a parte musical da programação com o Hino de Israel, Hatikva.

Clique aqui e veja alguns depoimentos

Tags: ,